O que fazer quando se deparar com um Beholder

Ok, o grupo entrou em uma dungeon. Os personagens já são poderosíssimos, auto confiantes, cientes que nada é capaz de impedir a sua busca e todos que se meterem em seu caminho serão impiedosamente obliterados e dizimados. Em resumo: os personagens do grupo estão no nível 3.

O grupo mata um grupinho de orcs aqui, uma shadow ali… tudo prosseguindo tranqüilamente.

De repente, o grupo abre uma porta e PAM!, um Beholder.

Ora, qualquer pessoa sabe que um Beholder está muitíssimo acima das capacidades de um grupo de nível 3. Mas e daí? O monstro está lá e não se tem muitas opções quando se entra em uma dungeon além de dizimar e pilhar toda forma de vida encontrada lá dentro.

Mas um Beholder?

Ora, nada é impossível. Aliás, Ronassic, morador de Sigil, inclusive compilou diversas histórias de aventureiros que derrotaram um beholder sem sequer sacar uma espada!

Segundo esse lendário compêndio, ao se deparar com um Beholder, um aventureiro esperto terá as seguintes opções de fala:

Seu tolo! Você acha que eu viria até aqui para confrontá-lo se eu não tivesse poder o suficiente? Eu estou aqui para descobrir se você tem interesse em dar tesouros em troca de conhecimento!

Essa tentativa de convencer o Beholder do grande poder que o personagem (não) possui é geralmente um blefe desesperado. O Beholder normalmente irá questionar o aventureiro sobre que tipo de conhecimentos ele teria para oferecer.

A melhor oportunidade que o enganador possui de se safar é dizer que possui um “conhecimento de valor e poder inestimáveis”. Então, talvez o Beholder acredite e saia da sala por alguns momentos para pegar o pagamento. Essa é a oportunidade que o aventureiro tem de fugir o mais rápido possível, pois é bem provável que o Beholder irá reunir seus lacaios para emboscar o “sábio aventureiro” e extrair o conhecimento sem pagar nada.

Sensacional! Eu acabei de encontrar um Beholder igual a você, mas ele tinha listras nos lados!

Na melhor das hipóteses, esse é um blefe que funciona a curto prazo. A maioria dos Beholders irá questionar o aventureiro sobre onde ele se deparou com a criatura defeituosa para que possa destruí-la. É provável que o aventureiro permaneça vivo até que o Beholder descubra sobre a mentira. A fuga na primeira oportunidade é a única opção que o aventureiro tem para permanecer vivo.

Mestre! Eu vivo apenas para serví-lo!

Essa tática é geralmente mais perigosa do que útil. Geralmente o Beholder irá entrar na onda até o momento de usar charm no aventureiro. Ou também poderá fingir que aceita o novo lacaio e irá atacá-lo quando estiver mais vulnerável.

Cocoricó! Có! Có!

Mesmo parecendo idiota, esse é o truque que tem mais chance de sucesso. Se o aventureiro conseguir convencer que é, na verdade, um galo que foi polimorfado, é provável que o Beholder o enquadre como criatura Inferior ou Inconseqüente e simplesmente o deixe em paz. Por outro lado, se o Beholder estiver com fome, é provável que ele devore o personagem.

Fonte: I, Tyrant – Aaron Alston

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s