Licantropia

8 de Junho de 2009 23:28

Eu cheguei a cogitar fazer deste mais um post completo. Mas daí vi que não tinha material suficiente, então resolvi fazer um, digamos assim, post incompleto, até porque eu ia me empolgar e começar a falar sobre os lobisomens e ia acabar perdendo o foco. Então, a moral deste post é falar sobre os efeitos da licantropia no jogo, não sobre lobisomens.

Bem, um personagem que é atacado por um licantropo possui uma determinada chance (que varia de edição para edição) de ser infectado pela licantropia. A licantropia, se não conduzida de forma correta, pode se apresentar como uma grande fonte de dor de cabeça tanto para o jogador quanto para o mestre.

Então eu apresento umas ideias de como contornar esse problema e também para dar uma nova opção de jogo para aqueles que desejam investir mais na utilização da licantropia em suas mesas de jogo.

Um personagem infectado pela doença se transforma em licantropo na primeira lua cheia após ter sido atacado. Nessa ocasião, a faceta animalesca do licantropo tende a sobrepujar a humana (95% de chance), resultando em um frenezi insano, seguido pela tradicional chacina do licantropo enlouquecido. Caso o licantropo venha a ser subjugado ou imobilizado, de forma que a sua fúria seja aplacada, com a faceta humana reassumindo o controle. Porém, existe a possibilidade (10% de chance) da faceta humana ser permanentemente atingida pela bestialidade, com o frenezi subsistindo até mesmo quando o personagem estiver na forma humana. Nesse caso, apenas com a cura completa da licantropia através de meios mágicos é capaz de devolver a sanidade mental ao personagem. Ou seja: existe uma chance alta de que o novo licantropo venha a abandonar tudo e todos para viver na floresta como um animal.

Um personagem infectado com a licantropia adquire as mesmas habilidades e limitações do animal em que se transforma. Por exemplo, no caso do lobsiomem: o personagem adquire faro, mas também perde a capacidade de distinguir cores com precisão.

Na transformação para a forma animal ou híbrida, as roupas que o personagem estaria usando são destroçadas – full-plate armors ou chain mails são consideravelmente não recomendáveis para portadores de licantropia.

Um personagem passa a controlar a frequência de suas transformações após ganhar 2.500 XP contados a partir do ataque que gerou a infecção. Com isso, ele passa a ser capaz de se transformar à vontade uma vez por dia, além de durante situações de stress ou grave perigo (contando, mesmo nesses casos, a transformação do dia).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s