Old Dragon – 15ª a 18ª sessões

Bom para ajudar os titulares do Vorpal e atualizar o pessoal na campanha do Neme no Old Dragon, eu, Aedan o clérigo, estou escrevendo o post. O último post publicado narrava o fim do embate contra o shoggoth na entrada da caverna. Após a batalha o dungeon prosseguia com um rio largo e traiçoeiro demais para ser atravessado a nado, na outra margem havia uma caverna aparentemente sem saída coberta de fungos do chão ao teto. Nosso mago levitou até o outro lado, e quase foi acertado por um fungo que explodiu com a sua proximidade. Começou então a operação limpeza dos fungos, foi lançada a magia boil (ferver)1 para secar o ambiente e depois foi posto fogo nos fungos através de mais barris de óleo. Com isso limpamos o outro lado. Utilizando as cordas, atravessamos e lá descobrimos uma passagem a meia altura e que subia em diagonal. A boca da passagem estava coberta por fungos, então nosso maguinho, completamente protegido, inclusive com um capacete de astronauta (achado no covil dos Dragões), se aproximou do buraco para limpar o resto dos fungos na entrada da passagem, detalhe essa proteção foi determinante para a vida do mago, citando as palavras do Neme “nunca pensei que esse capacete fosse ser útil”. Limpados os últimos fungos mortais explosivos prendemos a corda com gancho de escalada e começamos a subir pelo buraco.

Na passagem havia uma corda cortada o que levantou suspeita e da saída ouvia-se o barulho de passos pesados. Continuamos a subir nosso tanque Altamir na frente seguido por Samira, Omir, Aedan e Alderan. A poucos metros da saída o grupo é surpreendido por óleo fervendo sendo jogado em cima do grupo, após o segundo banho de óleo é que os primeiros membros do grupo conseguiram sair o buraco.

Altamir, Samira e Omir, chegados à nova sala, encontraram 3 Trolls esperando para o embate. Esse combate foi muito emocionante, com direito a duas falhas críticas com a portadora da tempestade por parte do Altamir, uma do Omir que custou seu arco quebrado e uma de um Troll que acabou entalado no buraco de entrada, detalhe ele caiu antes do Alderan sair do buraco e houve um combate entre os dois dentro do túnel, acabando com a morte do Troll.

Na sala havia duas caixas, uma contendo uma espécie de caixa de jóias que queima ao toque, e outra com uma cabeça falante, Bill um piloto da RAF na segunda guerra mundial. Altamir fecha um acordo com Bill, amarra ele nas suas costas e ganha um bônus nas jogadas de surpresa, até, claro, acharmos um corpo.

Nessa sala havia ainda duas portas semi escondidas que revelavam salas adjacentes com estatuas de pedra segurando espadas de pedra que significavam chaves. Ao tirar as espadas os golens voltavam à vida, mas foram eliminados um por um. Ao todo foram três golens e quatro espadas, uma havia sido achada antes da luta com o shoggoth.

Colocamos as espadas-chave onde pareciam se encaixar e o chão pareceu descer sob nossos pés. Chegamos a um amplo salão onde havia três golens de carne, uma estatua do Cthulhu com gemas nos olhos e uma piscina das almas. Aqui o combate foi feroz, Samira inclusive foi jogada na piscina das almas por um Golem; derrotados os Golens destruímos a piscina das almas, tiramos as gemas dos olhos do Cthulhu e, quebrando a estátua, foi descoberta uma porta nas costas da estátua. Na sala adjacente encontramos uma caixa com o colar desejado pelo nosso contratante Alistair, uma espada artefato e um outro colar.

Saimos da dungeon e decidimos não entregar o colar tendo em vista um sonho que Alderan teve em que lutávamos ao lado do Bill com corpo e estávamos arrependidos de ter entregado o colar. Então aguardamos uma caravana passar e fomos contratados como seguranças, a caravana pertencia a dois Gnomos e sua carga era secreta não podíamos chegar perto.

Após dias de viagem tranqüila chegamos a uma cidade relativamente grande ficaríamos ali dois dias, chegamos e fomos explorar as possibilidades, a cidade era completamente avessa a magia sendo a simples menção recebida com suspeitas, procuramos alguma aventura curta para aproveitar o tempo, cogitou-se inclusive atrasar propositadamente a saída para dar tempo de fazer a aventura. A aventura consistia em salvar o pai de um garoto e em troca receberíamos um item mágico. Mas como o tempo era curto decidimos acompanhar a caravana que saia no outro dia. À noite, descobrimos do que se tratava a carga, eram Gnomos licantropos, que saíram de seus caixões e precisaram ser recolocados.

Continuamos a viagem na próxima cidade portuária, porém menor, era nosso destino final, recebemos o pagamento e fomos identificar nossos itens mágicos. Descobrimos que a espada pertencia ao um Deus era ordeira +3, +5 contra servos dos deuses antigos, cada 100 hd pode liberar uma praga de insetos aumentando a praga conforme os Hds vão se somando, cada ataque errado perde um nível, (usando um dos colares pode fazer um teste para não perder esse nível).

Dentre os outros itens tem um anel de invisibilidade, um de proteção, e outros que nem me recordo mais. Após identificarmos os itens fomos verificar se o barco no qual o Alderan sonhou que cruzaríamos o mar estava no porto, como não estava, decidimos buscar uma outra aventura. Encontramos uma onde um mago estava em busca de um cajado. Não obtivemos grandes informações do contratante e o dinheiro não era lá grandes coisas, mas pegamos a aventura pensando que poderíamos ficar com o item mesmo assim apesar da ameaça do mago que nos caçaria até a morte. Também conseguimos um corpo para o Bill com o clérigo local, custou uma banana e decidimos que ele seria um clérigo sob a tutela de Aedan. Nos reequipamos e partimos para a batalha, lá chegando nos demos com um domo mágico e dentro um dragão, só havia entrada no topo do domo, discutimos muito sobre o que fazer, não havia possibilidade de atacar do buraco em cima, optamos por tentar botar fogo no domo, compramos óleo, mas o plano não foi como esperado.

Estávamos levando os barris com óleo para cima um dragão negro médio saiu pelo buraco do domo e atacou Alderan quase o matando. Samira e Aedan também estavam em cima do domo e engajaram na luta com o Dragão, Omir subiu com o anel de invisibilidade e obteve um erro crítico e acabou caindo no domo. Aedan foi jogado dentro pelo dragão médio que logo após foi morto. Samira e Altamir pularam para dentro caindo em cima do Dragão negro maior e o atacaram fazendo cair o cajado de suas garras, dentro do domo há ainda um dragão negro menor que estava à caça de Aedan. Omir invisível/traidor ficou quietinho paradinho sem fazer nada. Depois de um ataque de baforada pelo Dragão maior e um ataque do menor, Aedan desmaiou. E devido ao adiantado da hora ficamos nisso.

Detalhe o cajado era de absorção de magia/nível. Em linhas gerais era isso. Aedan realmente se sobressaiu nesse combate segurando, com exceção do primeiro ataque dirigido contra Alderan, TODOS os demais ataques foram contra ele, o personagem só veio a desmaiar no sexto turno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s